INTELIGÊNCIA EMOCIONAL – PARTE II

Olá, pessoal. No post passado comecei a falar sobre a inteligência emocional e sua importância, não somente para um ambiente de aprendizado saudável, mas como habilidade fundamental para uma vida adulta eficiente e produtiva. Não à toa temos habilidades e competências socioemocionais incluídas na BNCC da educação básica.

Continuar lendo “INTELIGÊNCIA EMOCIONAL – PARTE II”

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Olá, pessoal. Esta semana escolhi falar um pouco sobre algo que foi muito mencionado nas últimas publicações/reflexões sobre a educação para o século XXI que é a Inteligência Emocional. Tida como uma das habilidades fundamentais para um bom andamento da vida profissional, acadêmica, pessoal e social, achei que seria uma boa oportunidade para falar um pouco sobre essa habilidade, do que se trata, como podemos trabalhar para desenvolvê-la e como podemos ajudar nossos alunos a desenvolvê-la.

Continuar lendo “INTELIGÊNCIA EMOCIONAL”

NEUROEDUCAÇÃO

Olá Pessoal. No último fim de semana eu participei de um evento chamado “I Jornada Científica Docente” cujo foco era tratar do papel da Neurociência na educação. Estava bem entusiasmado com o evento e sua temática, e minhas expectativas foram bem atendidas. Continuar lendo “NEUROEDUCAÇÃO”

COMPREENDENDO O PENSAMENTO (OU O CÉRBERO PREGUIÇOSO)

Capa Rapido e Devagar.indd

Olá Pessoal. Esta semana escolhi falar sobre um assunto que venho estudando de modo diluído há mais de um ano, desde quando comecei a ler o livro brilhante (e ultra recomendado) “Rápido e Devagar: Duas formas de pensar” do Daniel Kahneman. Este livro (e todo material adjacente sobre o tema que fui tendo contato graças a ele) me apresentou uma teoria muito interessante sobre o funcionamento do nosso cérebro e o modo como processamos informação. E como educadores lidam basicamente com indivíduos processando informação nova, achei que seria interessante compartilhar aqui o que aprendi dessa teoria, e como ela pode nos ajudar a compreender alguns comportamentos que observamos nos alunos (e em nós mesmos), e quem sabe até a usar isso em nosso favor para promover um processo significativo de aprendizagem.

Continuar lendo “COMPREENDENDO O PENSAMENTO (OU O CÉRBERO PREGUIÇOSO)”