ENCANTAMENTO E ENTRETENIMENTO À SERVIÇO DA EDUCAÇÃO – PARTE I

Muitos educadores falam sobre o desafio de se conquistar atenção de alunos cada vez mais conectados e dispersos. Porém, a indústria do entretenimento faz isso maravilhosamente bem. Afinal, o mesmo adolescente que vive conectado o tempo todo, é capaz de desligar o telefone por até 3 horas para assistir um filme no cinema.

Continuar lendo “ENCANTAMENTO E ENTRETENIMENTO À SERVIÇO DA EDUCAÇÃO – PARTE I”

AVALIAÇÕES PARTE V: TRI – TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM II

Olá, pessoal. Na publicação de semana passada falei sobre a TRI, um pouco de sua origem histórica e as versões de modelos logísticos de 1, 2 e 3 parâmetros. Nesta semana eu quero exemplificar o uso dos parâmetros da TRI para classificar uma questão e falar um pouco sobre a “calibração” que deve ser feita.

Continuar lendo “AVALIAÇÕES PARTE V: TRI – TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM II”

AVALIAÇÕES – PARTE III: TCT – TEORIA CLÁSSICA DOS TESTES II

Olá pessoal, essa semana vamos continuar sobre a TCT agora com alguns exemplos de aplicação para analisar itens via seus parâmetros. É fundamental para acompanhar esse post, que o anterior tenha sido lido, por isso, se você não leu ainda, clica no link ali e da uma lida antes de prosseguir. Foi la? Leu? Ótimo, então, passemos a mágica.

Continuar lendo “AVALIAÇÕES – PARTE III: TCT – TEORIA CLÁSSICA DOS TESTES II”

AVALIAÇÕES – PARTE III: TCT – TEORIA CLÁSSICA DOS TESTES I

Olá, pessoal. Como mencionado na semana passada, nesta publicação gostaria de falar de modo um pouco mais detalhado e técnico sobre uma das modelagens estatísticas usadas na elaboração e análise de testes padronizados, a Teoria Clássica dos Testes (TCT). Basicamente, a TCT (também conhecida como análise clássica) visa, através de seus parâmetros descritivos, fornecer ao avaliador informações para determinar a qualidade dos itens/questões da prova, quantificando a capacidade de cada item em diagnosticar proficiência discente na habilidade avaliada.

Continuar lendo “AVALIAÇÕES – PARTE III: TCT – TEORIA CLÁSSICA DOS TESTES I”

AVALIAÇÕES – PARTE II: FERRAMENTAS ESTATÍSTICAS TCT E TRI

Olá, pessoal. No post da última semana comecei a falar um pouco sobre avaliações e testes com a recomendação de 3 vídeos para introduzir um pouco a temática. Esta semana gostaria de começar a me aprofundar um pouco em algumas tecnicalidades. Quando falamos de avaliação, chegamos na parte do processo educacional que muitos educadores consideram mais delicada e problemática.

Continuar lendo “AVALIAÇÕES – PARTE II: FERRAMENTAS ESTATÍSTICAS TCT E TRI”

PÓS-GRADUAÇÃO

Olá pessoal, essa semana escolhi falar um pouco sobre a formação docente. Como já foi comentado diversas vezes por aqui, nosso modelo educacional precisa de mudanças que invariavelmente demandam uma formação docente contínua. Este é, em parte, o motivo desse blog existir, contribuir de alguma forma com parte dessa formação compartilhando materiais, ideias e reflexões que encontro sobre o tema.

Continuar lendo “PÓS-GRADUAÇÃO”

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Olá, pessoal. Esta semana escolhi falar um pouco sobre algo que foi muito mencionado nas últimas publicações/reflexões sobre a educação para o século XXI que é a Inteligência Emocional. Tida como uma das habilidades fundamentais para um bom andamento da vida profissional, acadêmica, pessoal e social, achei que seria uma boa oportunidade para falar um pouco sobre essa habilidade, do que se trata, como podemos trabalhar para desenvolvê-la e como podemos ajudar nossos alunos a desenvolvê-la.

Continuar lendo “INTELIGÊNCIA EMOCIONAL”

EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI – #7 – CURRÍCULOS

Olá, pessoal, finalmente chegamos à última parte dessa série que tenho feito de reflexões que acho importantes quando falamos de uma Educação para o século XXI. Será que os currículos hoje (que se retroalimentam com os vestibulares e ENEM) não acabam por engessar boa parte do processo de mudança que muitas pessoas julgam necessárias? Será que a forma como são estipulados e cobrados os conteúdos dialoga com as demandas políticas, sociais e econômicas de uma sociedade em evolução tecnológica acelerada? E as ementas curriculares atuais, será que capacitam o jovem brasileiro para um cenário futuro com profissões que ainda não foram inventadas?

Continuar lendo “EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI – #7 – CURRÍCULOS”