APRENDIZAGEM, ENSINO E MITOS

A um bom tempo eu quero fazer uma postagem sobre técnicas de aprendizagem, principalmente focando no que não funciona. Hoje vamos falar um pouco sobre isso e sobre a quantidade enorme de mitos que são passados para frente, muitas vezes inclusive por professores de pedagogia.

E antes de mais nada, é muito importante estabelecermos que existe sim métodos mais e menos eficazes de ensino.

Continuar lendo “APRENDIZAGEM, ENSINO E MITOS”

ENCANTAMENTO E ENTRETENIMENTO À SERVIÇO DA EDUCAÇÃO – PARTE I

Muitos educadores falam sobre o desafio de se conquistar atenção de alunos cada vez mais conectados e dispersos. Porém, a indústria do entretenimento faz isso maravilhosamente bem. Afinal, o mesmo adolescente que vive conectado o tempo todo, é capaz de desligar o telefone por até 3 horas para assistir um filme no cinema.

Continuar lendo “ENCANTAMENTO E ENTRETENIMENTO À SERVIÇO DA EDUCAÇÃO – PARTE I”

FEEDBACK

Olá Pessoal. Esta semana havia prometido uma publicação sobre a TRI. Mas, como todo professor em final de ano, estive bem atarefado essa semana e não consegui deixar o texto como eu queria. Para não deixar aqui sem nenhum conteúdo essa semana, gostaria de indicar um vídeo muito interessante que vi essa semana do Bill Gates. Para quem não conhece, Bill Gates foi o criador da Microsoft e, dentre outras ferramentas, o Sistema Operacionoal Windows que muitos amam e outros odeiam.

Continuar lendo “FEEDBACK”

AVALIAÇÕES – PARTE II: FERRAMENTAS ESTATÍSTICAS TCT E TRI

Olá, pessoal. No post da última semana comecei a falar um pouco sobre avaliações e testes com a recomendação de 3 vídeos para introduzir um pouco a temática. Esta semana gostaria de começar a me aprofundar um pouco em algumas tecnicalidades. Quando falamos de avaliação, chegamos na parte do processo educacional que muitos educadores consideram mais delicada e problemática.

Continuar lendo “AVALIAÇÕES – PARTE II: FERRAMENTAS ESTATÍSTICAS TCT E TRI”

PÓS-GRADUAÇÃO

Olá pessoal, essa semana escolhi falar um pouco sobre a formação docente. Como já foi comentado diversas vezes por aqui, nosso modelo educacional precisa de mudanças que invariavelmente demandam uma formação docente contínua. Este é, em parte, o motivo desse blog existir, contribuir de alguma forma com parte dessa formação compartilhando materiais, ideias e reflexões que encontro sobre o tema.

Continuar lendo “PÓS-GRADUAÇÃO”

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL – PARTE III

Olá, pessoal. Nas duas últimas publicações falei um pouco sobre a Inteligência Emocional. Primeiro falamos sobre o que seria a IE qual a sua importância para o desenvolvimento acadêmico e para a vida adulta em sociedade. Em seguida compartilhei algumas sugestões de como podemos agir para desenvolver elementos da nossa própria IE afim de promover um ambiente educacional mais saudável e propício para o desenvolvimento da IE discente. De fato, como mostra essa investigação feita em 2017 com 599 professores do Ensino Básico e Secundário, docentes que apresentam mais capacidade para lidar com emoções, demonstram maior gestão da disciplina em sala de aula.

Continuar lendo “INTELIGÊNCIA EMOCIONAL – PARTE III”

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Olá, pessoal. Esta semana escolhi falar um pouco sobre algo que foi muito mencionado nas últimas publicações/reflexões sobre a educação para o século XXI que é a Inteligência Emocional. Tida como uma das habilidades fundamentais para um bom andamento da vida profissional, acadêmica, pessoal e social, achei que seria uma boa oportunidade para falar um pouco sobre essa habilidade, do que se trata, como podemos trabalhar para desenvolvê-la e como podemos ajudar nossos alunos a desenvolvê-la.

Continuar lendo “INTELIGÊNCIA EMOCIONAL”

EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI – #7 – CURRÍCULOS

Olá, pessoal, finalmente chegamos à última parte dessa série que tenho feito de reflexões que acho importantes quando falamos de uma Educação para o século XXI. Será que os currículos hoje (que se retroalimentam com os vestibulares e ENEM) não acabam por engessar boa parte do processo de mudança que muitas pessoas julgam necessárias? Será que a forma como são estipulados e cobrados os conteúdos dialoga com as demandas políticas, sociais e econômicas de uma sociedade em evolução tecnológica acelerada? E as ementas curriculares atuais, será que capacitam o jovem brasileiro para um cenário futuro com profissões que ainda não foram inventadas?

Continuar lendo “EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI – #7 – CURRÍCULOS”